FECHAR
21 de fevereiro de 2019
Voltar

AGRONEGÓCIO / Acesso a portos do Norte reduziria custo de transporte de alimentos em 40%

“Os investimentos previstos nas ferrovias Ferrogrão, Fico (Ferrovia de Integração do Centro-Oeste) e Fiol (Ferrovia de Integração Oeste-Leste) e nas rodovias BR-158 e BR-153 vão abrir caminhos para os portos do Arco Norte”, estima.

Segundo ela, o Porto do Itaqui, em São Luís do Maranhão, é o que mais exporta, com 9,6 milhões de toneladas (7,8%), seguido de Barcarena/Belém (7,1%). “Em 2009, saíam por Itaqui somente 2 milhões de toneladas”, lembra a assessora.

O potencial é grande, mas a dependência de infraestrutura também. Enquanto a BR-163 não é concluída, o governo promete investir R$ 4 milhões na Operação Safra 2 para garantir o escoamento de 14,7 milhões de toneladas que devem passar pela rodovia este ano.

“A operação foi desenhada em parceria com a CNA. Nós sugerimos algumas ações, porque a BR-163 fica sem condições de trafegabilidade por conta das chuvas, justamente durante a safra da soja”, explica Elisângela. Apesar de paliativas, as medidas devem mitigar os problemas, diz ela. “São montadas patrulhas de desencalhamento.

“É feito o agendamento de caminhões. Isso melhora a fluidez. Mas o que nos deixa mais otimistas é o anúncio de que a pavimentação da rodovia será concluída”, destaca.

A BR-163 terá 51 km pavimentados ainda em 2019, de acordo com o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas.

As obras nos 58 quilômetros restantes também devem ser iniciadas e a estrada, concedida à iniciativa privada enquanto a Ferrogrão não ficar pronta.

“A principal alternativa para a 163 será a ferrovia. A integração desses modais vai permitir uma redução de até 40% no frete”, calcula. A economia deve impulsionar o redirecionamento dos embarques do excedente agrícola para o Arco Norte.