FECHAR
FECHAR
29 de julho de 2013
Voltar
Rodovias

Tamoios: um traçado mais "amigável"

Novo traçado reduz remoções e reassentamentos pela metade do previsto, diminuindo a necessidade de desmatamento em 33%

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A Desenvolvimento Rodoviário S/A (Dersa), empresa de economia mista, responsável pela administração de várias rodovias e travessias no estado de São Paulo, concluiu revisões no projeto do novo contorno rodoviário de Caraguatatuba e São Sebastião, na Nova Tamoios Contornos. O novo traçado resultou na redução do impacto socioambiental do empreendimento, sem que houvesse aumento no seu custo total. As alterações diminuem o número de famílias reassentadas em 50% e reduzem em 23% a quantidade de imóveis desapropriados. O meio ambiente também será beneficiado, pois a área de vegetação a ser suprimida diminuirá 33%.

Os principais ajustes ocorreram no município de São Sebastião. Nos bairros de Topolândia e Olaria, a remoção de famílias cairá de 398 para 104. Na área do Morro do Abrigo, o novo traçado reduzirá de 161 para 42 as famílias reassentadas.

O novo traçado é produto dos estudos complementares desenvolvidos pela Dersa a partir da emissão da licença ambiental prévia do empreendimento, em setembro de 2012. Esses trabalhos atendem exigências contidas naquela licença, bem como demandas formuladas por órgãos de controle, autoridades municipais e população local.

A nova rodovia criará uma alternativa à SP-055 e será um novo acesso ao Porto de São Sebastião, desviando o tráfego de passagem, sobretudo o de caminhões, da área urbana dos dois municípios.

Os chamados Contornos da Rodovia dos Tamoios são duas pistas, uma ao norte e outro ao sul da rodovia, que vão desviar o tráfego rodoviário do centro dos municípios de Caraguatatuba e de São Sebastião. As obras são criticadas por ambientalistas, por passarem em área de mata fachada na região do Parque Estadual da Serra do Mar. Mas, para o governo, é a única saída para evitar que o centro das duas cidades travem por conta dos congestionamentos.

As construtoras contratadas para o projeto são a Serveng, Civilsan S/A e Queiroz Galvão. O custo total do empreendimento é estimado em R$ 1,940 bilhão, sendo R$ 1,350 bilhão em obras. Os novos ramais da Tamoios terão 37 quilômetros de extensão. Eles se juntam às obras de duplicação do trecho de planalto da rodovia, que está em obras, e do trecho de serra, que ainda está nas pranchetas do estado.