FECHAR
FECHAR
20 de dezembro de 2011
Voltar
Sobratema Fórum 2011 - Infraestrutura

O melhor e o pior das cidades em São Paulo

Governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, fala em evento promovido pela Sobratema sobre os principais problemas e soluções para o maior núcleo urbano do País

O crescimento desordenado das cidades brasileiras e as possíveis soluções para os graves problemas, comuns às maiores metrópoles do mundo, foram os temas do II Sobratema Fórum – Brasil Infraestrutura.Cidades, promovido pela Sobratema no dia 18 de outubro, na Fecomércio, em São Paulo. A proposta do encontro era reunir especialistas de notório saber nas áreas de planejamento urbano, sustentabilidade, economia, construção e gestão de políticas pública, entre outras, a busca de reflexões, projetos e até mesmo oportunidades de negócios, capazes de desfazer os principais gargalos da infraestrutura nas cidades brasileiras.

A palestra âncora do encontro foi proferida pelo governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin, que, por cerca de meia hora, descreveu os principais problemas de infraestrutura e os desafios pra o crescimento na maior região metropolitana do País. Alckmin listou os investimentos necessários e o que tem sido feito, tanto em aplicação de recursos quanto em planejamento de longo prazo, para melhorar a qualidade de vida da população e permitir o desenvolvimento sustentável na região.

Duas tendências ficaram bem claras ao longo da palestra do governador de São Paulo. A primeira é que as soluções, para serem eficazes, ultrapassam o limite das cidades, exigindo um enfoque metropolitano. “No caso de São Paulo, nós estamos trabalhando para ter varias metrópoles, criamos uma Secretaria de Desenvolvimento Metropolitano e estamos organizando a Região Metropolitana de São Paulo, da qual fazem parte 39 cidades”, anunciou.

Outra tendência explicitada por Geraldo Alckmin foi a da necessidade de participação da iniciativa privada, não só na operação da infraestrutura urbana, através de concessões, como também no próprio investimento para a construção dessa infraestrutura, através de Parcerias Público-Privadas (PPPs).

“Nós temos R$ 25 bilhões em recursos disponíveis para atrair a iniciativa privada, para trazer investimentos privados, avançando nas PPPs. Isso vai desde a manutenção da calha do Rio Tietê na batimetria original, com a limpeza da calha e desassoreamento do rio, passando pela construção de hospitais, penitenciárias, por uma nova linha de metrô, como é a Linha 6, pela aquisição de trens, etc”, afirmou o governador.

Vejam a seguir trechos das principais declarações do governador de São Paulo, durante o do II Sobratema Fórum Brasil-Infraestrutura