FECHAR
FECHAR
20 de dezembro de 2011
Voltar
Energia Renovável

Morro dos Ventos começa ganhar forma

Construtora Hahne está à frente das obras civis de parque eólico em João Câmara, no Rio Grande do Norte

A paisagem da cidade de João Câmara, no Rio Grande do Norte, já está diferente depois do início das obras do complexo eólico Morro do Vento (I, III, IV, VI e IX). O parque terá capacidade instalada de         145,2 MW, energia firme de 66,0 MW, e o início de operação está marcado para 2012. O empreendedor é a Desa - Dobrevê Energia S.A, que também dá andamento aos trabalhos de projeto e contrações para o parque eólico Eurus, também em João Câmara, de 60,00 MW, energia firme de 29,5 MW, com entrada em operação prevista para 2013.

O parque Morro do Vento terá 91 torres no total e o Eurus (I e III) contará com 38 torres, cada uma com potência de 1,65 megawatt.  Quando prontos, produzirão juntos cerca de 210 megawatts, algo suficiente para abastecer 200 mil habitantes.

A Construtora Hahne, de Florianópolis, é participante do empreendimento e responde pela construção da base onde são fixadas as torres, além das obras das rodovias e plataformas de içamento.  Em cada uma das bases foram empregados 400 m³ de concreto e 15 t de aço, além de 10 t de chumbadores. “Em uma semana de trabalho nossa equipe faz três bases. A quantidade de concreto utilizada nesse curto período seria capaz de erguer um prédio de 10 andares de alto padrão”, comenta o empresário e engenheiro civil Rui Hahne.

As bases são dimensionadas para suportar todos os esforços dos aerogeradores, sendo apoiadas diretamente sobre o solo. As torres possuem altura de 80 m e são montadas com guindastes de altura mínima de 100 m e capacidade de carga superior a 500 t. Elas são montadas após 28 dias de concretagem das bases, e da conclusão do seu respectivo reaterro e da plataforma de montagem para o guindaste.

O período de montagem de uma torre é de 1 dia. A mão de obra civil, no início da montagem, precisa efetuar o Grout, no pé da torre. Para isso, são necessárias quatro horas de serviço, no máximo, e mais 24 horas de cura do Grout. A equipe de montagem coloca a primeira peça, a civil entra executando o serviço de Grout e, após 24 horas, a equipe de montagem da torre retorna a executar as montagens.

Em geral, as torres ficam distantes entre si cerca de 200 m. A meta de instalação, segundo a construtora, é de 139 delas até abril de 2012. Para tal, existem equipes especializadas em cada fase da montagem da parte civil: escavação e compactação da sub-base, concretagem do piso, montagem e posicionamento do chumbador, montagem da armadura, montagem do aterramento, posicionamento das formas e tubulações embutidas e, por fim, a concretagem e a cura do concreto. A construtora já iniciou a construção de 40 km de ruas, de 12 m de largura cada uma, que dão acesso aos parques, além de plataformas para guindastes de 30 x 40 m.