FECHAR
FECHAR
11 de fevereiro de 2016
Voltar
Energia Eólica

Investimentos em escala

Pioneira no setor, Região Sul tem potencial de energia de 41,11 Twh/ano e fôlego para atrair novos empreendimentos

O Atlas do Potencial Eólico Brasileiro, elaborado pelo Centro de Pesquisas de Energia Elétrica (Cepel), mostra um potencial bruto de 143,5 GW, com destaque para o litoral do Nordeste , Sul e Sudeste. O potencial de energia anual para o Nordeste é de cerca de 144,29 TWh/ano; seguido pela região Sudeste, de 54,93 TWh/ano, e região Sul, de 41,11 Twh/ano.

O Rio Grande do Sul já responde por 22% da produção nacional de energia eólica, ficando atrás apenas do Ceará, responsável por 38%. São R$ 37,64% das contratações, equivalentes a 19 parques eólicos e a 326,6 megawatts comercializados, o maior volume contratado no leilão.

O Rio Grande do Sul já tem 15 parques eólicos em operação, com uma capacidade instalada de 460 megawatts.  Até 2017, o estado deverá ter 78 parques de energia eólica com uma capacidade instalada de 1.826,9 megawatts.  O Parque Eólico de Osório: instalado em Osório (RS), é o segundo maior centro de geração de energia eólica no Brasil (em 2011). Possui a capacidade instalada de 150 megawatts.

O projeto eólico de Povo Novo, no Rio Grande (RS), foi desenvolvido e estruturado pelas empresas Epcor Energia e MML Energia. Segundo Nilo Quaresma Neto, diretor executivo da Epcor, os estudos de medição de ventos foram iniciados em 2009, aproveitando a proximidade da região do litoral e devido ao potencial eólico da região.  A área foi escolhida pelas características locais, por aspectos logísticos como proximidade de estradas pavimentadas. Os investimentos chegam a R$ 280 milhões, incluindo Linhas de transmissões e Subestações. O Leilão A-3 ocorreu em novembro de 2013, com o valor de venda da energia a R$ 125,90 o MWh e o empreendimento foi adquirido em 2013 pelo Grupo CEEE – Companhia Estadual de Energia Elétrica.

O projeto está atualmente em fase de construção, com a instalação de 25 aerogeradores. A potência do Parque Eólico será de 52,5 MW, com aerogeradores modelo 2.1 MW da fabricante WEG, com altura das torres de concreto de 120 metros.   O parque eólico será conectado através de uma Linha de transmissão de 230 kV na Subestação Povo Novo.  A operação comercial do complexo eólico está prevista para o primeiro semestre de 2016.

Ainda no Rio Grande, a Epcor Energia foi responsável pelo desenvolvimento e estruturação do Complexo Eólico Corredor do Senandes – fase I -  108 MW – Rio Grande/RS,  adquirido pela Odebrecht Energia


O Atlas do Potencial Eólico Brasileiro, elaborado pelo Centro de Pesquisas de Energia Elétrica (Cepel), mostra um potencial bruto de 143,5 GW, com destaque para o litoral do Nordeste , Sul e Sudeste. O potencial de energia anual para o Nordeste é de cerca de 144,29 TWh/ano; seguido pela região Sudeste, de 54,93 TWh/ano, e região Sul, de 41,11 Twh/ano.

O Rio Grande do Sul já responde por 22% da produção nacional de energia eólica, ficando atrás apenas do Ceará, responsável por 38%. São R$ 37,64% das contratações, equivalentes a 19 parques eólicos e a 326,6 megawatts comercializados, o maior volume contratado no leilão.

O Rio Grande do Sul já tem 15 parques eólicos em operação, com uma capacidade instalada de 460 megawatts.  Até 2017, o estado deverá ter 78 parques de energia eólica com uma capacidade instalada de 1.826,9 megawatts.  O Parque Eólico de Osório: instalado em Osório (RS), é o segundo maior centro de geração de energia eólica no Brasil (em 2011). Possui a capacidade instalada de 150 megawatts.

O projeto eólico de Povo Novo, no Rio Grande (RS), foi desenvolvido e estruturado pelas empresas Epcor Energia e MML Energia. Segundo Nilo Quaresma Neto, diretor executivo da Epcor, os estudos de medição de ventos foram iniciados em 2009, aproveitando a proximidade da região do litoral e devido ao potencial eólico da região.  A área foi escolhida pelas características locais, por aspectos logísticos como proximidade de estradas pavimentadas. Os investimentos chegam a R$ 280 milhões, incluindo Linhas de transmissões e Subestações. O Leilão A-3 ocorreu em novembro de 2013, com o valor de venda da energia a R$ 125,90 o MWh e o empreendimento foi adquirido em 2013 pelo Grupo CEEE – Companhia Estadual de Energia Elétrica.

O projeto está atualmente em fase de construção, com a instalação de 25 aerogeradores. A potência do Parque Eólico será de 52,5 MW, com aerogeradores modelo 2.1 MW da fabricante WEG, com altura das torres de concreto de 120 metros.   O parque eólico será conectado através de uma Linha de transmissão de 230 kV na Subestação Povo Novo.  A operação comercial do complexo eólico está prevista para o primeiro semestre de 2016.

Ainda no Rio Grande, a Epcor Energia foi responsável pelo desenvolvimento e estruturação do Complexo Eólico Corredor do Senandes – fase I -  108 MW – Rio Grande/RS,  adquirido pela Odebrecht Energias Alternativas S.A, vencedor do Leilão LER  2011.

O parque está em operação comercial com 40 aerogeradores na primeira fase do empreendimento, modelo ECO-122  2.7 MW da fabricante Alstom. O parque eólico está conectado através de uma Linha de transmissão de 138 kV na Subestação Quinta de propriedade da CEEE-GT. Na segunda fase do empreendimento estão previstos mais 72 MW.

A Epcor também está com o Complexo Eólico Dom Pedrito, no município de mesmo nome, cujo projeto participará dos leilões de energia de 2016, na qual a primeira fase terá 108 MW.  Está prevista a conexão através de uma LT 230 kV na Subestação Bagé 2 da CEEE - GT.

Na segunda fase estão previstos mais 112 MW. Este projeto está localizado próximo a Vila São Sebastião, distrito Torquato Severo, englobando os municípios de Dom Pedrito e Bagé, o qual já possui LP – Licença Prévia e está em fase de obtenção da LI – Licença de Instalação.  De acordo com Nilo Quaresma, a Epcor possui uma carteira de projetos eólicos própria, com cerca de 2GW, em diversas fases de desenvolvimento, localizados em 15 municípios  do Estado do Rio Grande do Sul.

Povo Novo

A Seta Engenharia foi a responsável pela gestão contratual da CGE Povo Novo, respondendo por obras civis de acessos e fundações necessários ao perfeito funcionamento das referidas centrais geradoras.

Foram realizados serviços de escavações e aterros para as estradas de acesso à obra e áreas de acampamento e canteiro, juntamente com os dispositivos de drenagem; execução e manutenção de todos os caminhos de serviço temporários, necessários para desenvolvimento de suas atividades; recarga de material de estoque e transporte da brita e areia para abastecimento da central de concreto com posterior utilização como agregado das estruturas de concreto.

Também foram executados,  entre outros serviços, a concretagem das bases dos aerogeradores e do pátio de manobra; manuseio e estocagem de cimento; manuseio de agregados; fornecimento e manuseio de aditivos; e instalação de peças metálicas embutidas de concreto de primeiro estágio, atividade esta que deverá ser executada sob supervisão do fornecedor dos aerogeradores,.

Segundo Anderson Maus, da Seta Engenharia, a geologia do local representou o principal desafio técnico encontrado na etapa de execução das fundações dos parques, em função da grande variação nos perfis do terreno. A Seta, ao lado do cliente e da projetista, definiram metodologias técnicas para as adequações do projeto.

As fases da obra foram planejadas contemplando a sequência executiva normal, iniciando pelos serviços de terraplenagem, acessos (Externos e Internos), bases e plataformas, dando continuidade às obras civis com os serviços de execução dos blocos de fundação dos aerogeradores.

A Seta priorizou a contratação dos colaboradores das cidades e regiões vizinhas à obra, realizando investimentos em treinamento para seus funcionários, a fim de aumentar os níveis de eficiência e produção que o cenário de expansão dos negócios vem exigindo nos últimos anos.

Atualmente são funcionários envolvidos nas atividades do Complexo Eólico Povo Novo, tendo previsto para o pico da obra a contratação de 230 funcionários.

COMPLEXO EÓLICO POVO NOVO

Cliente: CEEE – Companhia Estadual de Energia Elétrica

Localização: Rio Grande - RS

Características: Potência Instalada: 52,50 MW

Número de Parques: 3 – (CGE Ventos de Curupira, CGE Ventos de Povo Novo e CGE Ventos de Vera Cruz)

Número de Aerogeradores: 25

Altura das Torres: 120 m

Comprimento de Acessos: 24,50 Km