FECHAR
04 de outubro de 2013
Voltar
Concreto Hoje

Concreteiras ampliam participação no cenário da construção civil

Apesar do índice de 4% previsto para a construção civil em 2013, a indústria do concreto mantém um crescimento firme. O cenário foi particularmente bom para as concreteiras, responsáveis pela produção do material em nível industrial. Dados da Associação Brasileira de Cimento Portland (ABCP) apontam que o consumo de cimento no Brasil avançou em mais de 80% no período de 2005 a 2012. O incremento ocorreu, principalmente, devido à produção nas centrais de concreto, cujos índices teriam chegado a 180% no mesmo período. Estima-se que somente no ano passado, a produção desse setor tenha sido de 51 milhões  de m³. "Considerando a projeção do PIB brasileiro atual e do PIB da construção, estimamos que para 2017 o volume nas centrais atinja 72,3 milhões de m³, representando um crescimento de 41,2% no período de cinco anos", avalia Valter Frigieri, diretor de Mercado da ABCP.

Segundo ele, o que puxa o aumento é a preferência crescente das construtoras pelo concreto fornecido das concreteiras, substituindo as centrais próprias no canteiro pelo produto entregue via caminhões betoneira. Comprovando a afirmação, a pesquisa elaborada pela ABCP aponta que entre 2006 e 2011 a demanda por concreto fornecido pelas concreteiras cresceu 136% no período. Adicionalmente, conforme dados do Sindicato Nacional da Indústria do Cimento (SNIC), o aumento da participação das concreteiras no consumo de cimento passou de 13,1%, em 2006, para 20,7%, em 2012.

Embora a construção civil brasileira tenha avançado na aquisição de concreto direto das concreteiras, os índices locais ainda não estão próximos do que se pratica em países desenvolvidos. “No mercado norte-americano, por exemplo, foi constatado que cerca de 70% do cimento vendido no começo desse ano acontece via concreteiras”, afirma Frigieri. Mesmo em países emergentes como a China, cerca de 40% do cimento consumido tem sido destinado às concreteiras, reforçando o papel do setor. Em resumo: a utilização de cimento dosado cresce nas centrais, mas o Brasil ainda permanece distante da evolução observada em países mais desenvolvidos.

O papel dos projetos de infraestrutura e edificação é claro no incremento do consumo de concreto via concreteiras. Eles têm sido responsáveis por parte do aumento de produção, mas foi a necessidade por soluções logísticas e ambientais que levaram as construtoras a adotar novos padrões de produção e utilização. Um deles é a adoção do sistema construtivo de paredes de concreto nas edificações. Números da ABCP mostram tal solução como a que mais ganhou espaço, posicionando-se agora com 20% de participação entre as opções de sistemas construtivos usando o concreto.