FECHAR
FECHAR
29 de julho de 2013
Voltar
Saneamento

Aporte de R$ 508 bilhões até 2033 aquece mercado de saneamento

Fenasan, maior evento do setor no Brasil, reunirá mais de 17 mil pessoas para discutir políticas de investimentos e as novidades tecnológicas, apresentadas por 220 expositores

Consolidados como os maiores eventos técnico-mercadológicos da América Latina, no setor de saneamento ambiental, a 24ª edição da Feira Nacional de Saneamento e Meio Ambiente (Fenasan) e o 24º Congresso Técnico, que acontecem de 30 de julho a 01 de agosto de 2013, no Expo Center Norte (Pavilhão Azul), em São Paulo (SP), prometem ser os maiores de todas as edições.

A Associação dos Engenheiros da Sabesp (AESabesp), responsável pela realização do encontro, acredita que o número de visitantes será maior do que a edição do ano passado, quando foram registrados 17.000 participantes. “O evento visa difundir novas tecnologias, discutir políticas de incentivo e sedimentar a sua economia, uma vez que é previsto um aporte de R$ 508 bilhões, a serem aplicados até 2033, com a implantação do Plano Nacional de Saneamento Básico”, diz Reynaldo Eduardo Young Ribeiro, presidente da AESabesp.

Segundo Ribeiro, a AESabesp visualiza que tais investimentos deverão se refletir em outras áreas sociais, como habitação, educação e preservação do meio ambiente, que por sua vez trarão impactos positivos no desenvolvimento do País e na redução da pobreza. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), cada dólar investido em saneamento gera uma economia de US$ 4 em tratamento de doenças de veiculação hídrica, uma das grandes causas da mortalidade infantil em regiões sem infraestrutura.

A Fenasan 2013 contará com variada equipe de expositores atuando na cadeia do saneamento, tais como fabricantes de equipamentos, desenvolvimento de programas, executores de projetos e prestadoras de serviços. Das empresas que já confirmaram presença, nove são dos EUA, Alemanha, Portugal, Espanha, Turquia, Reino Unido e China, o que consolida o caráter internacional do evento.

O clima de otimismo que cerca a Fenasan 2013 encontra base não só nos investimentos do Governo Federal e nos recursos vindos de grupos estrangeiros, mas também no interesse mundial no saneamento de São Paulo. De acordo com o Portal da Sabesp, antes de a empresa assumir os serviços de saneamento básico em São Paulo, o índice de mortalidade infantil era de 87 crianças, de 0 a 1 ano de idade, para cada grupo de mil, ou seja, 8,7%. “As péssimas condições de saneamento eram apontadas como fator determinante para a estatística. Hoje, o índice caiu para 13,3 equivale a 1,3%”.