FECHAR
Voltar

Jogo Rápido

Revista Grandes Construções Edição 30 - 09/2012

Setor de materiais reduz ritmo dos investimentos

Neste período, houve uma redução na expectativa em relação às pretensões de investimentos no médio prazo (próximos 12 meses), já que 67% das indústrias de materiais pretendem investir. O resultado aponta para uma redução, em relação à pesquisa do mês anterior, de três pontos percentuais.

Quanto às expectativas da indústria sobre as ações do governo para o desenvolvimento do setor, também no médio prazo, os números se encontraram estacionados. A imagem desta sondagem, no mês de agosto, reflete praticamente os mesmos números de seu mês antecessor. A pesquisa aponta, na média, que 36% das indústrias possuem boas expectativas em relação às ações do Governo para o setor da construção civil nos próximos 12 meses. Como indiferentes 58% (1 ponto percentual a mais do que no mês de julho) e como pessimistas, os mesmos 7%.

Já no desempenho de vendas, a sondagem apontou aspectos positivos. Entre as associadas da entidade, o desempenho no período atual (agosto) teve como média geral, Bom, tendo 9% das empresas informando Muito Bom, 40% Bom, 47% Regular, 2% Ruim e 2% Muito Ruim. Em relação ao mês anterior (julho), o crescimento das empresas que acharam o período de vendas Bom subiu sete pontos percentuais.

Para Walter Cover, presidente da entidade, o atual cenário do setor de materiais de construção ainda é muito delicado. “As vendas no período de janeiro a julho de 2012 estão muito abaixo do previsto e esse é um momento importante para o governo atualizar medidas de incentivo ao setor, principalmente com relação à desoneração e crédito”, finaliza.

 

 

15/10/2012

Petróleo, Gás e Combustíveis

Duas FPSOs para o pré-sal