FECHAR
Voltar

Jogo Rápido

Revista Grandes Construções Edição 89 - 04/2018

Segurança com transparência

A presença do vidro como elemento de destaque na construção não é nenhuma novidade. Basta observar a grande quantidade de prédios residenciais e comerciais que exibem o material fartamente nas suas fachadas. A novidade mesmo são os vidros especiais que apresentam diferenciais em seu processo de fabricação e beneficiamento e são moldados de acordo com cada projeto arquitetônico. Um desses desafios impostos à indústria do setor, e que comprovam a versatilidade do material em grandes dimensões, foi o projeto de reforma do Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida, localizado no município de Aparecida, interior de São Paulo. Lá, o vidro foi usado nas obras recentemente concluídas do anel da Cúpula  Central, que ganhou um guarda-corpo com quatro observatórios frontais para que os visitantes possam contemplar de cima a magnífica estrutura da construção da Basílica.

O guarda-corpo, de 98 m lineares de diâmetro, foi aplicado com vidros temperados e laminados transparentes de 8+8 mm de espessura, com tamanho de 1m x 1,50 m e fixados por botons distanciadores de aço inox 304, que não enferrujam. Já os observatórios frontais, feitos com o mesmo tipo de vidro, têm espessura de 6+6 mm.

A obra deixou o local mais seguro para a visitação dos fieis depois da aplicação dos vidros, já que a altura equivale a de um prédio de 17 andares, com quase 53 m de altura. “Segurança e beleza são atributos inegáveis em grandes projetos, como esse que fizemos para o Santuário. Além de servirem como proteção, os vidros também são práticos para a limpeza, já que em locais de grande circulação a praticidade na manutenção assume maior importância”, explica Claudio Passi, diretor da Conlumi Indústria e Comércio de Vidros, que atendeu às solicitações do projeto.

18/05/2018