Voltar

Jogo Rápido

Revista Grandes Construções Edição 56 - 02/2015

Refinaria Abreu e Lima entrega primeiro carregamento de nafta petroquímica

O primeiro carregamento de nafta petroquímica produzida na Refinaria Abreu e Lima (Rnest), no Porto de Suape, em Pernambuco, foi embarcado em 13 de janeiro para São Sebastião, em São Paulo, onde foi vendido para a Braskem.

Desde que entrou em operação, em 6 de dezembro passado, a Abreu e Lima já refinou 1,4 milhão de barris de petróleo e produziu 56,6 mil metros cúbicos de nafta petrolífera na unidade. Nesse primeiro carregamento, foram expedidos 18,5 mil metros cúbicos do produto.

A nafta petroquímica é gerada na Unidade de Destilação Atmosférica da Refinaria Abreu e Lima e, depois de ser certificada nos padrões da Agência Nacional de Petróleo (ANP), é bombeada para os navios, com apoio logístico da Transpetro.

O material é usado para produção de insumos químicos como eteno, propeno, butadieno, benzeno e xileno. Esses insumos são usados pela Braskem para fazer plásticos como eteno, propeno, butadieno, benzeno e xileno. Também são produzidas borrachas sintéticas e fios de náilon.

O resultado pode ser aplicado em automóveis, eletrodomésticos, embalagens, produtos têxteis e detergentes.

O segundo trem de refino deve ficar pronto em maio. A Rnest está no foco das investigações da Operação Lava Jato, que investiga desvios de dinheiro da Petrobras. Em 2005, quando foi anunciada pelo então presidente Lula (PT), a unidade tinha custo calculado em US$ 2,4 bilhões. A estimativa atual é que ele gire em torno de US$ 20 bilhões.

 

 

19/02/2015