FECHAR
Voltar

Jogo Rápido

Revista Grandes Construções Edição 19 - 10/2011

Petroleiro do grupo EBX já chegou ao Brasil

Já chegou ao Porto do Rio de Janeiro a primeira unidade de produção, armazenamento e transferência de óleo (FPSO) da OSX, empresa do Grupo EBX, do empresário Eike Batista, que atua no setor naval offshore. O OSX-1, que foi customizado no estaleiro Keppel, será instalado na Bacia de Campos,onde produzirá o primeiro óleo da OGX, empresa de óleo e gás do mesmo grupo.

A unidade, que está fretada à OGX por 20 anos, será usada no Teste de Longa Duração (TLD) da OGX na acumulação de Waimea.

Com 271,75 metros de comprimento e capacidade de armazenamento de até 900 mil barris de petróleo, a unidade possui 16 módulos, dos quais 8 foram customizados para atender às especificações da OGX. É esperada uma produção de até 20 mil barris/dia para este ano (TLD).

Está a caminho do Brasil a bóia desconectável que compõe o sistema de ancoragem do FPSO OSX-1. Ela será utilizada na produção do primeiro óleo da OGX em Waimea, na Bacia de Campos.

Trata-se de um equipamento de grande porte, com cerca de 17 metros de altura, equivalente a um prédio de seis andares;14 metros de diâmetro e mais de 700 toneladas.

A boia será responsável por interligar o OSX-1 ao poço, através de linhas flexíveis e umbilicais. As amarras, estacas e cabos de aço do FPSO OSX-1 já estão no País. A instalação prévia desse sistema de ancoragem no Rio de Janeiro permitirá uma rápida conexão da unidade, abreviando o tempo necessário entre a chegada do OSX-1 e o início de sua operação.

A OSX já tem US$ 4,8 bilhões em encomendas firmes de equipamentos em carteira da OGX, dos quais 90% serão produzidos em território nacional pelo estaleiro que a OSX está construindo no Complexo Industrial do Superporto do Açu, norte do Estado do Rio de Janeiro. Serão gerados 3,5 mil postos de trabalho na fase deconstrução e 10 mil na fase de operação.

 

14/10/2011
14/10/2011
14/10/2011

Arquitetura

Niemeyer radical