FECHAR
Voltar

Jogo Rápido

Revista Grandes Construções Edição 32 - 11/2012

Oscar Niemeyer

Com o falecimento do arquiteto Oscar Niemeyer, dia 5 de dezembro de 2012, o Brasil perde não somente um apaixonado pelo “desenho” que se transformava em realidade, mas também um homem que conciliou sua trajetória profissional ao seu pensamento político. Esse conjunto fez dele um ser humano íntegro, ímpar, de personalidade, o que transparecia em suas atitudes e no seu trabalho. Assim, sua assinatura extrapolou o campo da Arquitetura, ou melhor, sua Arquitetura extrapolou o campo técnico, para transformar-se em expressão humana na busca do belo e da igualdade social, com ícones facilmente reconhecidos em todo o mundo.

A Revista Grandes Construções dedicou uma matéria especial ao arquiteto, em sua edição de número 5, Junho/2010, (Na trajetória do arquiteto e do cidadão, a história do Brasil) que traz uma retrospectiva de seu trabalho e uma entrevista exclusiva do seu fiel parceiro, o engenheiro calculista, José Carlos Sussekind, em que ele destaca. “Ele gosta da vida, mas é a vida nesse sentido, de se distrair, de ter prazer, de ter um grupo de pessoas em torno de uma mesa de refeição”. Essa aparente simplicidade contrasta com a genialidade de sua obra. Não pode haver melhor homenagem a Oscar Niemeyer.

"Não é o ângulo reto que me atrai, nem a linha reta, dura, inflexível, criada pelo homem. O que me atrai é a curva livre e sensual, a curva que encontro nas montanhas do meu país, no curso sinuoso dos seus rios, nas ondas do mar, no corpo da mulher preferida. De curvas é feito todo o universo, o universo curvo de Einstein."

Oscar Niemeyer

 

10/12/2012
10/12/2012
10/12/2012