FECHAR
Voltar

Jogo Rápido

Revista Grandes Construções Edição 51 - 08/2014

Crescem as vendas de máquinas compactas

O cenário da construção no Brasil tem assistido a um crescimento constante de um novo perfil de máquinas dimensionadas às necessidades específicas das obras, agregando rapidez ao baixo custo operacional. Tratam-se dos equipamentos compactos fornecidos pela Maxter Máquinas. A empresa traz para o Brasil novos tipos de máquinas para trabalhar em construção, desde reparos de redes de saneamento, túneis de metrô, fundação, construção e manutenção de rodovias, restauração de construções antigas, até abertura de piscinas, obras civis leves, até no agronegócio, entre outras.

Entre as novidades, destacam-se modelos da WackerNeuson, como a escavadeira compacta com capacidade que varia de1t a 2t. A esteira de borracha dessa máquina abre e fecha em passagens estreitas e o chassi VDS tem nivelamento para trabalhar em terrenos com aclives e declives, graças ao pistão acionado hidraulicamente pelo operador.

De acordo com o diretor da Maxter, Célio Neto Ribeiro, os números mostram que o país está mudando a cultura de utilizar equipamentos grandes, de 15 a 20 t, como se fossem dimensionados para trabalhos leves nos canteiros de obras. Na verdade, em muitos casos esses equipamentos são superdimensionados devido ao tamanho e à capacidade. “Dados de importação mostram que em 2013 o mercado de compactos cresceu 40% no Brasil. No mundo, foram 200 mil miniescavadeiras vendidas por todos os fabricantes”, explica ele.

“Nos canteiros de obras brasileiros, para cada 200 operários existe um equipamento compacto, enquanto na Europa a equivalência é de um operário para apenas três compactos”, compara Célio. “Temos um bom caminho a percorrer e um bom mercado a conquistar”, afirma.

 

 

11/08/2014
11/08/2014
11/08/2014